01: De reunião e Reis…

Belinha, hoje o trabalho começou! Quer dizer, não começou a pleno vapor, de fato, mas tivemos uma primeira reunião pra definir alguns pontos, já que amanhã o Maurice viaja pra Catalunha pra um pequeno recesso – e pra se isolar e seguir dedicado ao texto dele sobre Shakespeare – e assim achamos por bem fazer uma conversa pra podermos ir para esse recesso já “dormindo no assunto”, como o Gabriel gosta de falar. Conversamos pela primeira vez presencialmente sobre a gênese do processo, o desejo que tínhamos de trabalhar com ele e com a Francesca e de passar uma temporada na Europa, e o cruzamento desse desejo com a questão do exílio e da infância, que surgiu durante o processo do Nuestra Senhora de las Nuvens. Falamos sobre o acerto com o l’Épée de Bois, espaço que vai nos acolher para essa empreitada, sobre um planejamento mais geral em relação a nossa ida à Firenze, etc.
Fora as questões mais práticas, a conversa circulou muito no nosso desejo em entrar na sala, e começar a explorar A Tempestade. Afinal, Shakespeare é sempre um bom começo! E meio! E fim! A partir daí, vamos vendo para onde o trabalho vai nos levar.
Enfim, foi uma excelente conversa, começamos a sentir o gostinho do trabalho de fato! Dia 15 começamos!
De resto, você anda cada vez mais solta e desinibida, com o francês e tudo mais. Hoje tivemos uma pequena festinha de Reis, já que no dia 6 o Maurice não vai estar aqui. Vieram a Aline e o Arman, dois amigos muito queridos, que também são do Soleil. Filha, você se divertiu muito, e se apaixonou pelo Arman, rebatizado de “Malucão”, porque de fato ele é completamente pirado! Rsrs… Comemos uma galette de rois – e o Maurice manipulou a distribuição dos pedaços pra você ganhar a faive, que é santa, pelo que me parece -, tomamos champagne (do nacional, mesmo) e nos divertimos bastante. Aliás, você experimentou a champagne, assim como já tinha experimentado vinho e escargot! Grandes aventuras eno-gastronômicas, hein?
Anúncios

4 comentários sobre “01: De reunião e Reis…

  1. “posts são escritos para Isabela Queiroz Yamamoto, filha do casal, que os acompanha nesta jornada, e que tem a mesma idade que Miranda, filha de Próspero, quando ambos são exilados n’A Tempestade, obra que inspira esse projeto.”
    Eita! deixa ver se eu entendi!
    Belinha é “objeto” de observação dessa pesquisa?
    Se for, quando ela crescer, vai fazer um texto falando que os pais dela, exilaram ela só pra fazer um texto sobre crianças exiladas! kkkkk quanta crueldade.. kkkkkkkkk

    Curtir

    1. KKKKKKKKK!!!! Pô, Leni, você descobriu o plano secreto de exploração da nossa filha!!!! Na verdade, a ideia é fazer uma “bilogia”, a continuação dos Livros de Miranda é o espetáculo em que a Bela relata a sua experiência no exílio sofrendo com o frio e com o tédio de ficar brincando sozinha todo dia numa sala de ensaio em Paris!!!!!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s